2009-01-25

O primeiro rali a andar para trás...



Está prestes a começar mais uma época do Campeonato Regional de Ralis, talvez a que levantou mais espectativas nos ultimos tempos e a que mais desilusao trouxe embora ainda nem tenha começado.
Ora vejamos, o Campeonato Madeirense sempre teve o orgulho de se apresentar à comunidade do desporto motorizado como pioneira em todos os níveis, mas face à crescente crise que parece ter o efeito "arrastao" no que toca aos cada vez mais dispendiosos desportos motorizados, tem havido um decrescimo de qualidade nos Ralis regionais.

Mas nem tudo estava perdido: Apesar da diminuíção abrupta de inscritos nos ralis foi criada uma comissão que tinha como objectivo dar a volta à situação com varias soluções, entre elas, trazer de volta WRC antigos (e mais baratos) que podiam fazer frente aos novissimos e carissimos S2000 e mesmo assim lutar pela vitoria à geral (ao mesmo tempor trazer de volta o publico e patrocinadores), diminuir os custos de inscrição, etc. Enfim, trouxe de volta a esperança para todos aqueles que respiram octanas.
Agora, a pouco tempo do primeiro rali da epoca, foi divulgado o resultado final, nos quais quero destacar dois pontos:

- As regras do campeonato regional nao foram alteradas, apenas foi criada uma Taça da Madeira em que se pode participar com os tais WRC, ou seja, investe-se corre-se, mas nunca se pode ser campeao regional se não houver investimento num S2000

- O custo de inscrição aumentou 50€ por prova em relação a 2008

Tirem as vossas conclusões...

2 comentários:

il _messaggero disse...

A nível internacional a palavra de ordem nos desportos motorizados tem sido: redução de custos. Em especial, as marcas nipónicas tem sido muito fustigadas havendo já muitas desistências nas diferentes categorias.

Se no WRC o cenário é igual, em Portugal e em especial na região, o mesmo não será diferente.

Corrige-me se estou errado, mas esta redefinição acontece porque os custos associados à participação no regional são elevados, face à previsível diminuição de receitas publicitárias [aquilo que realmente gera retorno].

No entanto, numa altura em que a organização do campeonato foi repensada para manter a sua sustentabilidade, segundo o que descreves, parece-me que foi perdida uma excelente oportunidade para tal desiderato.

O campeonato ficaria a ganhar, em termos de´atracção, quer em termos de competitividade, se houvesse na estrada os "velhinhos WRC".

Depois temos de ver, que num regional, há uma importante vertente lúdica, ou seja a esmagadora maioria dos pilotos está lá porque gosta e não tem como objectivo primário vencer. Isto acontece porque, segundo o actual sistema, só dois ou trêspilotos, devidos aos investimentos avultados que são necessários, têm hipóteses reais de vencer o campeonato.

A meu ver, ou baixavam taxas de admissão; ou admitiam antigos carros realmente competitivos [estilo ex-wrc's]; ou então limitavam as categorias, reduuzindo todos aos troféus monomarca [piloto passaa ser essencial - se bem que é discutívelos termos em que seria feito]; ou finalmente, impunham um tecto orçamental comportável à generalidade dos participantes, direccionando e incentivando os mesmos a adquirir, dentro da gama, viatura competitivas que gerassem espectáculo [no fundo o que o pessoal quer].

Agora, contar também com resistências e certos interesses que concerteza iriam rebater estes argumentos.

post scriptum: bom comeback Jay! Espero mais "posts" teus! És o nosso Steve McQueen!

Jay disse...

ehehe

Sim, resumindo é isso mesmo: perdeu-se uma boa oportunidade de reanimar as coisas, ainda por cima apos tanta espectativa que pôs muitos pilotos à procura de novas viaturas..