2009-06-16

ontem o corão e as armas...


...hoje blogs e o twitter. Estará o Irão a viver uma revolução [despoletada pela] web 2.0? Ou será um mero escape efémero de uma sociedade constrangida?

5 comentários:

Anónimo disse...

Não será antes uma questão de percepção? A CNN neste campo faz milagres. Amplia os problemas dos "nossos inimigos" e "censura" os dos "nossos amigos"!

amsf

JJT disse...

Tal como o anónimo refere também acho que pode estar a existir um falso relato da realidade...
Ou então podemos mesmo estar perante um significativo movimento social embora considere que estará mais relacionado com um potencial apoio americano aos adversários políticos do que com o papel da web 2.0... mas só os próximos tempos poderão dize-lo...

il _messaggero disse...

Caro amsf e desbobinador JJT, obviamente que tive em conta essa perspectiva.

No entanto, temos de ter em atenção que no Irão, perto de metade da população tem menos de 25 anos. O Irão debate-se com graves desigualdades no seu seio, grandes problemas sociais e económicos, tendo um óbvio défice de liberdades pessoais.

Aliás, todas estas premissas já hámuito eram conhecidas e desde há anos que o país era, também por estes factos, considerado um tremendo barril de pólvora.

Daí a questão sobre a leitura destes acontecimentos. Poderemos apenas ver estes como mero escape efémero de uma sociedade há muito constrangida ou haverá uma real sustentação na mesma?

Será que o uso de meios ligados à web 2.0, não ajudará a consolidar este movimento? É que mais que os paoios externos - igualmente muito importantes - sem uma devida mobilização, não haverá sustentabilidade futura em qualquer acção social que tenha por finalidade a mudança.

Anónimo disse...

Resumindo:

Antes negava-se as comunicações ao inimigo", depois passou-se a escuta-las, presentemente preserva-se-as e injectasse informação falsa.

A partir dos números de contacto dos líderes chave da "oposição" é possível descobrir-se outros círculos maiores que correspondem às pessoas que se contactam entre si. Naturalmente que as probabilidades de essas pessoas serem afectas à oposição são maiores. Não é preciso escuta-los mas somente referencia-los.
Pouco antes do anúncio dos resultados eleitorais envia-se um sms a essa "rede de social" com a indicação que o amigo do primo que trabalha na CNE acabou de informa-lo de que a oposição ganhara! Explode o entusiasmo, os festejos entre a oposição. Pouco depois a televisão anuncia a vitória do "regime". As manifestações de regozijo da oposição transformam-se em manifestações de indignação, distúrbios acontecem. Sms são injectados na rede com a informação da existência de grandes manifestações e distúrbios e repressões o que acaba por as tornar reais. A internet, sob as mais diversas formas é alimentada da mesma forma. Começam a circular na rede social afecta à oposição notícias de mortos, de prisões. A CNN começa a noticiar de forma insistente. A necessidade de desabafar e recolher informação congestiona a rede suscitando a suspeita de censura das telecomunicações por parte do regime.
Se tudo isto não for suficiente para mobilizar a oposição para as ruas injecta-se informação de sentido contrário na "rede social" afecta ao regime. "Uma amiga da amiga da prima foi forçada, por apoiantes da oposição, a retirar o véu!" Surgem notícias de mortes, verdadeiras ou falsas é indiferente para o objectivo que se pretende atingir. Está aceso o rastilho e depois é só ir injectando a informação na rede social afecta à oposição e ao regime de acordo com as necessidades!

É bom que estejamos conscientes destas possibilidades!
Hoje, com a tecnologia certa, conhecimento da língua, cultura e situação política e religiosa de determinados países é possível provocar uma guerra civil!

Espero que tenham percebido a noção de "rede social" que os nossos contactos telefónicos, email, internet podem revelar a quem nos queira manipular! A partir de dezenas de contactos de uma rede social ou política" pode-se chegar a uma rede de milhares que geralmente que tem pontos comuns que podem ser exacerbados, manipulados!

amsf

il _messaggero disse...

Caro amsf,


Obviamente que as redes social sociais e as novas formas de comunicação, acabam igualmente por reproduzir estas distorções que aqui descreveu (que ao fim ao cabo acaba por ser uma repetição de anteriores técnicas de manipulaçãode massas, só que com outros meios).

No entanto há igualmente o reverso da medalha. No entanto, creio que esta crise vem por a nú as graves desigualdades existentes na sociedade iraniana. Uma sociedade com graves diferenças entre o meio rural mais conservador e o meio urbano mais progressista. uma sociedade controlada por uma elite teocrática envelhecida, quando tem uma das populações mais jovens do mundo.

Creio que mais cedo ou mais tarde, estes acontecimentos seriam previsíveis. Agora o grande enfoque que faço aqui, é o contributo dos meios 2.0 na mundialização da questão.