2007-10-28

Álvaro Parente campeão World Series By Renault!

Álvaro Parente assegurou o título das World Series by Renault, Fórmula Renault 3.5 em 2007, depois de ter obtido a terceira posição na primeira corrida do fim-de-semana, aumentando a margem que o separa de Ben Hanley para 34 pontos, o que lhe permite festejar já no sábado.
Como prémio, Parente vai testar um Fórmula 1 da Renault antes do final do ano, começando desde já a trabalhar para a evolução para a GP2, esperando-se que as equipas da antecâmara da F1 olhem agora com outros olhos para este piloto, que acaba de dar a todos os portugueses uma grande alegria! Parabéns Álvaro!
Partindo do segundo lugar da grelha, Álvaro Parente tentou manter sempre o mesmo andamento até ao final da prova, não se metendo em aventuras, pois sabia que o seu adversário Ben Hanley partia muito detrás, e para o português bastava o sexto lugar, independentemente do resultado do inglês, para assegurar o título.
Parente ainda chegou a mostrar-se a Salvador Duran, mas optou por não atacar, sendo um dos primeiros a entrar na boxe para trocar de pneus. O piloto da Tech 1 Racing voltou rapidamente à pista, mas caiu para terceiro, não se preocupando com a luta que se desenrolava à sua frente.
Fonte: JLA, Autosport 27 Outubro 2007
Faltou apenas fazer uma pequena referencia ao feito conseguido sem NENHUM apoio português numa época em que teve brilhantes vitórias (destacar a corrida no Mónaco, no mesmo fim de semana do F1) naquele campeonato que meteu varios jovens pilotos de talanto na Formula1 - Kovalainen na Renault (2004), Kubica na BMW (2005) e Vettel (2007).
Tambem é de salientar que teve uma pequena ajuda em o seu principal "rival" ter rumado à Formula1 a meio da época, não tirando qualquer mérito à vitoria.
P.S. - Completamente offtopic, fica aqui uma pequena homenagem a Armindo Araujo que venceu sexta uma classificativa do Mundial de Rallys à Geral com o seu "pequeno" Mitsubishi de Grupo N e foi 2º no PWRC (10º à geral) na estreia do Rally do Japão mesmo com os vários problemas de diferencial que o fizeram rodar várias vezes em FWD.

12 comentários:

Jay disse...

Infelizmente, Armindo acabou por ser desclassificado:

Tal como explicou o Team Manager, João Paulo Alves:” Os comissários da prova verificaram que faltava um tubo do interior da longarina, que apesar de não ter consequências em termos de performance, é obrigatório existir. Esta ausência é da inteira responsabilidade do preparador, a Ralliart Itália, uma vez que foi ele que retirou o componente no momento em que preparou o carro para competição. È uma situação muito grave e a Ralliart Itália terá que assumir as responsabilidades por este erro. Para
a equipa é muito difícil perceber se o tubo existe ou não, uma vez que ele não está visível. A equipa não teve qualquer intenção em retirar benefícios extra desportivos desta situação e o próprio colégio de comissários, ao aplicar unicamente a pena de desclassificação (sem aplicar qualquer multa ou penalização mais grave), acaba por reconhecer isto mesmo. Estamos desolados com toda esta situação porque o Armindo Araújo não merecia este desfecho depois da prova fantástica que realizou.”

Mora disse...

Que grande batoteiro!

Sem um tubo no interior da longarina também eu conseguia bons resultados!

Gente desta não faz falta nenhuma ao desporto motorizado em Portugal.

Jay disse...

PWRC - Campeonato MUNDIAL de Produção.. A prova realizou-se no Japão!

O tubo em falta, não traz nenhuma vantagem a nível de potencia. É apenas uma questão de segurança do piloto e navegador.

Armindo Alves disse...

Realmente sem o tubo...
esta mentalidade mina o desenvolvimento da modalidade em Portugal..
comecem a correr com os tubos todos e a lidar com a derrota de uma forma positiva...

ganhar assim nao

mora disse...

Sr. Jay,

sabemos todos perfeitamente que a prova se realizou no Japão.

Esse facto não altera em nada a situação, por isso não tente atirar poeira para os olhos.

Reformulando, reafirmo: batoteiros desta espécie estão a mais no desporto motorizado português (e mundial)!!

Ainda para mais foi pouco homenzinho e tratou logo de, à boa maneira tuga, atirar a culpa para cima de terceiros...

Jay disse...

Caro Sr. Mora

Alguma vez culpou o Sr. Rui Costa pelo defeituoso anel superior do Estádio da Luz? Já lhe passou pela cabeça culpar o Paulo Bento pelo relvado de m*rd* em que joga o Sporting?

Armindo Alves disse...

Sr. Jay,
já que estamos com analogias com outros desportos, vamos a ser mais objectivos.
Já lhe passou pela cabeça sancionaro treinador do Benfica pelo teste positivo de doping ao Nuno Assis?
ou sancionar o Maritimo quando o Kenedy acusou positivo e veio recambiado da Coreia?

nao...nem a si nem ao aos comités de anti-dopagem..

mora disse...

Caro Sr. Jay,

mas afinal estamos a falar de que desporto? Porque se quiser discutir sobre futebol, aviso desde já que não será comigo que o irá fazer.

Pensei que se estava a discutir o caso da batotice do miserável Armindo Araújo. Mas já vi que prefere desviar as atenções através de comparações absurdas com desportos menores...

Quanto a si, Sr. Armindo Alves, não se meta em discussões para as quais não foi chamado, quando não tem claramente o know-how necessário para o efeito.

Muito obrigado.

RaliArt disse...

A RaliArt Italia vem por este meio informar que a culpa da desqualificação de Armindo Araujo e sus equipa no Rally do Japão é inteiramente da nossa responsabilidade.
Mais informamos que o tubo em falta, em nada altera a performance do carro pelo que o resultado obtido foi inteiramente mercido, principalmente se tivermos em conta os sucessivos problemas que surgiram durante o Rally no diferencial trazeiro, fazendo que por duas vezes o carro andou apenas em fwd.

Obrigado

mora disse...

Esse suposto comunicado da Ralliart consegue a proeza de ter três graves erros ortográficos num tão curto espaço.

Das duas uma: ou é falso, ou a equipa ainda é mais fraca do que o piloto batoteiro.

RaliArt disse...

A RaliArt vem novamente informar que o responsavel pela correcção ortografica está de momento ocupado com um artigo sobre a montagem de um movel do IKEA, pelo que não foi possivel apresentar um texto decente.

Obrigado

AutoSport disse...

Se o filme “Quem tramou Roger Rabitt?” tinha o humor na sua base, um outro que se poderia intitular “Quem tramou Armindo Araújo?” dificilmente arrancará um sorriso ao piloto. Na prática, a resposta à pergunta parece ser a Ralliart Itália, o principal preparador da equipa Mitsubishi TMN Galp e também quem construiu o Lancer Evo IX. Por isso, João Paulo Alves, director de equipa, não tem duvidas em afirmar que a ausência da peça que originou a desclassificação e que tinha também já surpreendido Juho Hanninen este ano só pode ser atribuída à (ir)responsabilidade do preparador italiano:

«Foi notada a ausência de um tubo no interior da longarina que, apesar de não ter consequências em termos de “performance”, é obrigatório existir. E se não estava no sítio onde devia é porque a Ralliart Itália retirou o componente no momento em que preparou o carro para competição. É um situação muito grave e pela qual a Ralliart Itália terá que assumir a responsabilidade. Para a equipa é muito difícil perceber se este tubo existe ou não uma vez que ele não está visível. E a prova de que a equipa não teve qualquer intenção de retirar qualquer benefício extra desportivo com a situação é que o próprio colégio de comissários apenas ditou a desclassificação, não atribuindo qualquer multa ou penalização mais grave».

Agora resta esperar pela resposta da Ralliart Itália, à qual a Mitsubishi Motors Portugal promete pedir explicações, não colocando de parte a hipótese de uma desvinculação futura.

MSC, Quarta, 31 de Outubro às 12:02