2007-07-01

Dia da Madeira e das Comunidades Madeirenses


Faz hoje 31 anos desde que as seculares e legítimas pretensões dos povos madeirenses foram atendidas, dando a este arquipélago a tão desejada Autonomia.

Posto avançado para as Descobertas, posto de experiência de culturas e modo de organização nas colónias (ex: a cultura do açúcar foi levada da madeira para o Brasil; o método da divisão em capitanias foi testado nas ilhas atlânticas, etc.), ilhas escarpadas, perdidas e rodeadas por um imenso oceano, estes territórios sempre padeceram do problema de estarem longe dos principais centros de decisão do território, sofrendo com isso várias agruras como subdesenvolvimento e falta de sensibilidade dos decisores políticos para com os seus problemas específicos, fomes cíclicas, ataques de corsários (ajudados por pouco investimento feito na defesa da ilha), entre outras coisas...

Os anseios autonomistas começam a manifestar-se de um modo mais convicente, em finais do período da Monarquia Constitucional; com a República e ajudados pelo impulso açoreano (que pretendia a independência, estando algumas potências por detrás destes ensejos face à sua posição estratégica), em meados dos anos 20 o tema volta à baila; contudo a ditadura e as duas revoltas ocorridas em 1931 e 1936 (a da Madeira e a do Leite), ajudam a tornar a região desprezada para o Poder Central.

Perdidas no Oceano Atlântica, desprezadas durante muitos séculos pela metrópole, só em 1976 os arquipélagos atlânticos obtiveram um estatuto autonómico, que não perturbou o princípio de continuidade territorial do estado português, mas reconheceu algumas particularidades especiais a estes arquipélagos...

Não me irei alongar muito mais, mas esta breve introdução serve para por um lado, manifestar algum repúdio face a algum autonomismo bacoco que é normalmente usado por muitos políticos locais, assim como mostrar que as conquistas autonómicas não são propriedade de A ou B...Defendo um aprofundamento da autonomia, mas recusando veemente a visão dicotómica de eles contra nós, como muitas vezes querem fazer passar. Naturalmente esta é a minha opinião e neste blog existem pessoas que não terão esta opinião.

Numa altura em que a crispação para com o poder central atinge altos níveis, fica aqui feita a menção a este dia, em que curiosamente se inicia uma decisiva presidência portuguesa da UE, que toca a muitos dos bloguistas deste espaço que tiveram o privilégio* de nascer na Pérola do Atlântico (onde me incluo com muito orgulho)...

...e porque desde 1987 (se não estou em erro) temos uma bandeira e um hino regional, vamos lá recordar a letra do mesmo, numa espécie de reciclagem...eheh...

Do vale à montanha e do mar a serra,
Teu povo humilde, estóico e valente
Entre a rocha dura te lavrou a terra,
Para lançar, do pão, a semente:
Herói do trabalho na montanha agreste,
Que se fez ao mar em vagas procelosas:
Os louros da vitória, em tuas mãos calosas
Foram a herança que a teus filhos deste.
Por esse Mundo além
Madeira teu nome continua
Em teus filhos saudosos
Que além fronteiras
De ti se mostram orgulhosos.
Por esse Mundo além,
Madeira, honraremos tua História
Na senda do trabalho
Nós lutaremos
Alcançaremos
Teu bem-estar e glória.


* opinião pessoal e imparcial de um madeirense...juro...eheh

15 comentários:

Artigos & Urtigas disse...

Do vale à montanha e do mar a serra,
Teu povo humilde, estóico e valente
Entre a rocha dura te lavrou a terra,
Para lançar, do pão, a semente:
Herói do trabalho na montanha agreste,
Que se fez ao mar em vagas procelosas:
Os louros da vitória, em tuas mãos calosas
Foram a herança que a teus filhos deste.
Por esse Mundo além
Madeira teu nome continua
Em teus filhos saudosos
Que além fronteiras

De ti se mostram orgulhosos.
Por esse Mundo além,
Madeira, honraremos tua História
Na senda do trabalho
Nós lutaremos
Alcançaremos
Teu bem-estar e glória.

nick belane disse...

Aprofundar a autonomia parece-me pouco ambicioso. Por mim podiam dar-vos a independência.

nick belane disse...

Aprofundar a autonomia parece-me pouco ambicioso. Por mim podiam dar-vos a independência.

Artigos & Urtigas disse...

Mas isso iria quebrar com as nossas fortíssimas ligações com o Continente! E isso a Madeira não quer! Teríamos de negociar isso bem, ficando Portugal de fazer uma "boa" última transferência orçamental, Portugal faria um forcing para deixar a RAMadeira na UE e por fim, Portugal garantia a defesa da RAM c o seu vasto exército! :P

Bah! Não somos todos portugueses?!

Strob disse...

Eu acho é que o governo "central" deveria ser cá na Madeira e nós é que dariamos autonimia a Portugal Continental...aí é que queria ver os nossos amigos compatriotas a chorarem por um Alberto João Jardim que lhes desse vias rápidas e arraiais no Chão da Lagoa, ou em Monsanto no caso de Lisboa! :p lol Viva à Madeira e à poncha!

Do vale à montanha e do mar à poooonnnchaaaa!
Um grande abraço madeirense pra todos! :)

Dário disse...

Isto é só pa esclarecer algumas injustiças e exageros deste artigo:

1º E que tal pararem de fazer o papel de coitadinhos e de vítimas?! As "agruras" pelo qual passou a Madeira é comum à maioria das ilhas mundiais relativamente distantes dos continentes, até séc. XIX!! Não foram os únicos a sofrer fomes, ataques de corsários, piratas e desprezadas e ignoradas pelos políticos das metrópoles! Isso era comum na época!!

2º Os Açorianos nunca, mas nunca desejaram a independência face à metrópole!! Históricamente sempre fomos dos mais acérrimos defensores da pátria e de 1nacionalismo inquebrável! Ainda hoje somos patriotas como poucos e não andamos por aí a ameaçar subtilmente com a independência de cada vez que não nos dão os fundos que queremos (ou não nos perdoam os excessos financeiros que cometemos)!!
A única situação independentista que houve foi de fora para dentro e não de dentro para fora! Ou seja, não foram os Açorianos que se lembraram de exigir nenhuma independência, foram estrangeiros (americanos)que influenciaram, convenceram e manipularam meia dúzia de aristocratas a "libertarem-se" do jugo português. Isto passou-se, se não estou em erro, na época do presidente Lincoln. O objectivo era depois integrar os Açores nos E.U.A., pois, na época, gozávamos de enorme importância estratégica e logística. Mas como isto não tinha o apoio da maior parte das famílias aristocráticas e das massas, ou seja, do povo açoriano, nunca foi avante! Portanto não andes por aí a afirmar que os Açores pretendiam a independência, porque isso é MENTIRA! Há uma grande diferença entre uma tentativa de manipulação e de nos roubarem sorrateiramente à pátria, e de os Açores quererem efectivamente separarem-se de Portugal!!

3º Autonomia/chantagem, quem consegue discernir estes conceitos na Madeira? Pois é, lá fundem-se! É um "república das bananas" onde os governantes fazem o que querem e o que lhes dá na real gana, inclusivé gastar o que têm e o que não têm, e depois fazem 1escândalo quando são castigados, multados por terem gastos milhões a mais, os quais pediram 3vezes para gastar e por 3vezes lhes foi negado o gasto e mesmo assim gastaram-no despudoradamente, desautorizando a república... E quando há desrespeito pelas regras o que é que acontece? Óbviamente o castigo! Mas não, eles fazem a asneira mas assobiam pró lado e não aceitam o castigo! E ainda saiem heróis aos olhos da população!
Autonomia, no vosso caso, é apenas instrumento para melhor servirem os interesses de alguns e fazerem o que lhes apetece sem ng fiscalizar... Vejam lá que até queriam uma justiça própria! Isso é q era! Se agora é como é, imaginem o à vontade de João Jardim se controlasse (ainda mais) a justiça!!

il _messaggero disse...

Dário disse:"E que tal pararem de fazer o papel de coitadinhos e de vítimas?! As "agruras" pelo qual passou a Madeira é comum à maioria das ilhas mundiais relativamente distantes dos continentes, até séc. XIX!!"

Dário, se lesses bem o post, verias que escrevi num parágrafo:
"Perdidas no Oceano Atlântica, desprezadas durante muitos séculos pela metrópole, só em 1976 os arquipélagos atlânticos obtiveram um estatuto autonómico, que não perturbou o princípio de continuidade territorial do estado português, mas reconheceu algumas particularidades especiais a estes arquipélagos(...)"
...ou seja, falei na situação particular da região, pois comemorava-se um aniversário sobre a data de atribuição da sua autonomia. Não é uma questão de vitimização, são factos e situações que os Açores por exemplo também passaram - e que tive o cuidado de também o referir...

Dário disse:2º Os Açorianos nunca, mas nunca desejaram a independência face à metrópole!! Históricamente sempre fomos dos mais acérrimos defensores da pátria e de 1nacionalismo inquebrável! Ainda hoje somos patriotas como poucos e não andamos por aí a ameaçar subtilmente com a independência de cada vez que não nos dão os fundos que queremos (ou não nos perdoam os excessos financeiros que cometemos)!!

Erras um pouco novamente, pois está comprovado que efectivemante houve apoio de potências como os EUA por detrás de pretensões de certa elite acoreana (aliás como tu próprio o dizes) - no início da década de 20, Roosevelt (futuro presidente dos EUA) esteve nos Açores a negociar a futura indepedência do arquipélago dos Açores mandatado pelos EUA. Logo o vosso argumento de defensores incondicionais da Pátria, mesmo que essa intenção de independência fosse desejada por 1/2 dúzia, cai por terra; Por outro lado, cometes nnosso lapso ao não ler bem o meu post:
"Não me irei alongar muito mais, mas esta breve introdução serve para por um lado, manifestar algum repúdio face a algum autonomismo bacoco que é normalmente usado por muitos políticos locais, assim como mostrar que as conquistas autonómicas não são propriedade de A ou B...Defendo um aprofundamento da autonomia, mas recusando veemente a visão dicotómica de eles contra nós, como muitas vezes querem fazer passar.
...ou seja cais no erro de confundir a visão de alguma classe política que governa a Madeira (atenção não é toda), que lança estas bordoadas para o ar, duma forma bacoca e sem fundamento nenhum. Como disse, eu sendo madeirense com muito orgulho, recuso limiarmente esta visão do eles contra nós, não sendo apologista deste regionalismo bacoco que clama para si os louros da autonomi, quando esta foi uma conquista árdua que começou à muito tempo.

Dário disse: 3ºAutonomia/chantagem, quem consegue discernir estes conceitos na Madeira? Pois é, lá fundem-se!

Novamente está a confundir a atitude de alguns com os outros, como já o fizeste em cima. Não confundas com maior poder negocial. Que saiba, nunca ameaçamos com independência numa situção formal (apenas me lembro do Jaime Ramos dizer isso no Chão da lagoa em 93 num comício), o que fizemos foi negociar contrapartidas usando os deputados eleitos, da mesma forma que o Queijo limiano eou como os açores e os seus deputados já tentaram fazer sem sucesso...Já ouviste isso sim, ameaças de saída da região da UE (que é possível, negociando um estatuto especial, ficando a região livre das normas comunitárias - o que na minha leitura poderia ser algo nocivo, vendo as contrapartidas que recebemos opelo facto de sermos umas das 7 regiões ultraperiféricas da UE - art.299 alínea B do código comunitário)...

Dário disse: E quando há desrespeito pelas regras o que é que acontece? Óbviamente o castigo! Mas não, eles fazem a asneira mas assobiam pró lado e não aceitam o castigo! E ainda saiem heróis aos olhos da população!

Concordo contigo, discordando apenas no facto de que estas sanções já deveriam ter acontecido à muito tempo e apenas foram aplicadas agora por causa do calendário político. Os sucessivos governo da república do PSD e PS já deveriam ter tomado medidas há muito, pois o desrespeito pelo limite de endividamento era uma constante. No entanto discordo um pouco da altura em que decidiram fazer estes cortes, pois ocorrem numa altura em que devido a uma série de factores (entrada de novos países faz descer média comunitária de PIB per capita, o que provoca que a Madeira agora se encontre no Objectivo 2 ou seja acima dos 75% dessa média, entre outras coisas) - as verbas transferidas da UE sofrem um corte abrupto, deixando de poder ser aplicadas em projectos de acessibilidades, base da economia madeirenses (com culpas graves para o governo da RAM que deixou esta situação se arrastar e nunca fez uma aposta forte noutros campos). E nem negociou verbas de transição como fez com o Algarve, com a agravente de sermos uma região insular (com todas as suas condicionantes...e com as eleições que estavam previstas para 2008 e tendo sócrates uma semana depois do anúncio das verbas, se deslocado à Madeira na qualidade de secretário-geral do PS e anunciado a estratégia e o objectivo de arrebatar a liderança do GR ao PSD, julgo que torna-se óbvio os seus intentos...
Quanto à questão do heroísmo ou não, isto explica em parte a atitude da população face ao Governo Central. Socrátes e os seus pares com este mau timming, apenas diminuiram ainda mais a oposição e afastaram ainda mais o dia em que haverá alternância política na região...30 anos criam muitos vícios de poder, daí o meu desejo que um dia possa haver alternância. Mas o populismo é igual aqui, como em todo o país sem excepção...

Dário disse: Autonomia, no vosso caso, é apenas instrumento para melhor servirem os interesses de alguns e fazerem o que lhes apetece sem ng fiscalizar... Vejam lá que até queriam uma justiça própria! Isso é q era! Se agora é como é, imaginem o à vontade de João Jardim se controlasse (ainda mais) a justiça!!

...novamente falas sem saber. ao contrário do que a grande maioria do país pensa, na Madeira não sinto que haja condicionamentos à liberdade de expressão. E a justiça funciona...

Pargueiro :) disse...

Mr. Dario said:
"2º Os Açorianos nunca, mas nunca desejaram a independência face à metrópole!!"
> E a Madeira? Alguma vez desejou?

"Portanto não andes por aí a afirmar que os Açores pretendiam a independência, porque isso é MENTIRA!" ?!?


Eu até gostava de ter vida para andar aqui a comentar isto..mas não tenho. :(

Mr. Dário sinceramente não vejo porque é que se sentem mais portugueses do que os Madeirenses! O sentimento que eu tenho, é que grande maioria dos portugueses não gostam da Madeira e dos Madeirenses!Talvez pelo estilo do Presidente da RAM, por não engolir sapos e lutar sempre pelos interesses da Madeira!Quem nos dera (a portugal) ter mais políticos como ele! Portugal não estaria como está e também as Azores Island estariam mais desenvolvidas.

Sinceramente, e é uma opinião pessoal, eu acho que a Madeira deveria tentar alcançar mais autonomia e decidir por si própria um rumo a dar a si e aos seus habitantes. A Madeira tem de andar sempre a reboque do governo central (não Mr. Dário,not just for the dolars!), e deveria ser a Madeira e o seu Governo Regional a definir as estratégias para a região. Os Madeirenses não podem deixar que seja o srº primeiro-ministro, a cortar-nos as pernas e assobiar para o lado quando o assundo é a Madeira!

o srº primeiro-ministro está a fazer um ataque intensivoà Madeira e ao seu Governo! Mr. Dário can't you see? Open your big eyes!

Mas sobre isso, como diz o mensageiro, dava um post!
Acabei por escrever mais do que queria sobre isto... Mr. Dário, sorry, bu i had not prepared the text...Next time it will be better! Sorry for that, Mr Dário, Portuguese of Newark! :P

Hugs and kisses

Anónimo disse...

Pargueiro gostei do jogo de minusculas/maiusculas! he he

Dário disse...

Mr Pargueiro:

Antes de mais, bem-vindo ao blog!!

> "Mr. Dário sinceramente não vejo porque é que se sentem mais portugueses do que os Madeirenses!"

Não, não foi isso que eu quis dizer. Não há portugueses de 1ª e de 2ª. Quer sejam nortenhos, lisboetas, algarvios, madeirenses ou açorianos, somos todos portugueses de primeiríssima água! Inclusive os imigrantes como o senhor, que como todos nós já nos habituámos a constatar, até sentem a "portugalidade" com mais intensidade que os próprios habitantes (se ainda vivessem aqui é que duvido que continuassem a gostar assim tanto do país...;) mas isso é outra história...). Apenas estava a corrigir uma injustiça escrita por il_messagero. Se algum político nos Açores se lembrasse de fazer chantagem com o continente, usando a independência como arma, os eleitores cairíam imediatamente em cima desse "iluminado"... É essa a nossa diferença... Há assuntos sagrados com os quais não se admite política suja e o facto de sermos portugueses é um deles... E óbviamente que Jardim também não quer a independência (de parvo ele não tem nada...), apenas lançou para o ar tal coisa para pressionar o governo central (achei piada foi ele próprio ter lançado isso para o ar e depois ter feito de conta que não era nada com ele, que eram outros que andavam a levantar o assunto..."olhe, está a ver sr Sócrates, as ondas de separatismo que provocou aqui na Madeira?!").

> "o srº primeiro-ministro está a fazer um ataque intensivoà Madeira e ao seu Governo!"

Huum... O inverso não é o que Jardim tem feito há décadas?! Simplesmente agora encontrou 1político que não é tão pato como os outros e não vai na cantilena do bandido... No que os madeirenses são cegos é aceitarem-no como herói (sim, porque foi ele próprio que se elegeu como herói), quando ele está precisamente a utilizar esta guerra com o governo central para se valorizar internamente! Há muito tempo que ele sabe que não tem argumentos e que não ganhará a guerra, portanto, já agora, aproveitou para fazer dos madeirenses uns patos e consolidar a sua posição interna, e ao mesmo tempo camuflando o facto de que toda esta guerra (despoletada por factos financeiros) é por culpa própria! A Madeira gastou muitos milhões a mais do que lhe era permitido e as sanções que lhe impuseram estão consagradas na lei das finanças regionais!! Não foi por birra de Sócrates!! O governo central não tinha saída: ou fazia o que fez ou atribuía aos Açores milhões extra para igualar, coisa que não é fácil nem aconselhável de fazer em tempo de vacas magras... E foram gastos excessivos que lhe foram negados 3 (3!!!!) vezes e mesmo assim foi em frente! Isso não é gozar descaradamente?! Não é um claro afirmar de que lá não é obrigatório respeitar as leis da república e fazem o que querem?! Isto é ainda mais incrível se nos lembrarmos que não há muitos anos, a dívida da região foi perdoada (assim como aos Açores), no valor de 250milhões!! Aproveitaram a benesse para resvalarem outra vez as contas, e agora num espaço ainda mais curto de tempo?!

> "Talvez pelo estilo do Presidente da RAM, por não engolir sapos e lutar sempre pelos interesses da Madeira!"

Novamente, acho que é o inverso... São os sucessivos governos centrais que têm engolido sapos de Jardim... Só que agora há alguém que tem coragem para o enfrentar e que não gosta que o tomem como parvo...
E quanto aos interesses da Madeira, acho que é mais defender os interesses de filhos e afilhados...

> "Quem nos dera (a portugal) ter mais políticos como ele! Portugal não estaria como está e também as Azores Island estariam mais desenvolvidas."

1º Se Portugal está como está, com Sócrates a ser acusado de tentar controlar os media, e servilismo, então imagine-se com Jardim... Todos à sua volta estariam bem servidos e empanturrados...todos os que estivessem contra mandados para a masmorra...que é precisamente o que tem acontecido na Madeira, passe a metáfora. Quem diz algo contra ele está logo queimado...e isto já ouvi de ferrenhos PSD madeirenses, até como que orgulhosos do facto...

2º Por nossa parte, não obrigado... Não é que estejamos satisfeitos com os que por lá têm passado, aliás, Mota Amaral por exemplo foi um desastre completo, mas ao menos podemos respirar em liberdade...
Jardim é um mestre em sacar dinheiro do continente, sem dúvida! Mas pense bem, Madeira é a 3ª zona do país com mais dinheiro público injectado por km2 de território com continuidade terrestre... Caramba, se assim não se desenvolvesse, nada o conseguiria!! Agora olhe para os Açores...e tenha em conta que recebemos +- o mesmo que a Madeira... Como é que é possível, com o mesmo dinheiro, construir 9aeroportos, 9portos, 9hospitais, enfim, 9 de tudo (numa assumpção por alto, óbviamente)?! Na Madeira, devido à maior continuidade terrestre, as despesas com infraestruturas são bem menores, além de permitir fazer cada uma com mais qualidade e maior eficiência/eficácia!! Acrescente-se o facto de o nosso mercado de consumo estar também ele disperso e portanto qualquer investimento privado é de uma rentabilidade muito menor e risco bem maior. É que se pensarmos bem nestas condicionantes, os Açores não estão tão subdesenvolvidos como poderiam estar, nem a madeira tão desenvolvida como poderia estar!! A maioria das pessoas sem formação em economia cometem o mesmo erro na análise de desenvolvimento: pegar num qualquer modelo de sucesso e aplicá-lo noutro sítio, sem qualquer tipo de contextualização. Se se tratam de situações diferentes é demagógico comparar directamente e aplicar exactamente os mesmos "remédios"!! É o mesmo que tomar aspirina para curar uma dor de estômago; se calhar até tem um ou outro componente que faz bem há dor, mas desperdiçam-se quase todos os restantes componentes do comprimido, e isto para não falar dos efeitos secundários sobre essa dor...
Há muitos erros de gestão e estratégia do executivo de jardim que só agora vão ser postos a nú... A economia da Madeira é baseada no investimento público (não, não é no turismo). E excessivamente! Ora, quando as infraestruturas (as necessárias e as desnecessárias, como é muito frequente na Madeira...) estão quase todas contruídas, o que que acontece?! Declínio da economia! Não é um modelo sustentável, supostamente só deveria ser utilizado no curto e médio prazo, mas nunca como estratégia perpétuada eternamente! E só conseguiram mantê-lo à custa do dinheiro do continente e UE! Será que é justo manter um modelo despesista á custa do resto do país?! Modelo de investimento público só deverá aplicado para efeitos de alavanca e/ou para criar as bases necessárias. Mas a Madeira fê-lo como "modo de vida"! A Alemanha de Hitler teve um modelo semelhante (mas em grande escala, claro), que levitou a economia de 1936 a 1939/40. Mas para mantê-lo além do aconselhável, ou seja, com sustentação artificial, o que tiveram de fazer? Tiveram que se expandir, levando ao que toda a gente já sabe... E a Madeira? Pretende invadir Marrocos??!
Portanto os Açores não precisam de lições de economia do governo madeirense e do seu plano artificialista que beneficia essencialmente filhos e afilhados (disse e reafirmo!)!

> "Os Madeirenses não podem deixar que seja o srº primeiro-ministro, a cortar-nos as pernas e assobiar para o lado quando o assundo é a Madeira!"

Cortar as pernas?! Devo recordar que quem se auto-mutilou foi o governo madeirense (e em última instância o povo madeirense, pois insiste em continuar a votar nele)!!! Não foram eles que desrespeitaram a lei das finanças regionais?! Querem ver que foram obrigados por Sócrates?! Se as leis não são para respeitar e as sanções para não aplicar então para que é que existem?
O papel de lobo mau até pode ficar bem a Sócrates, mas de capuchinho vermelho Jardim não tem nada! No mínimo é uma raposa, matreira e hipócrita!
Quanto ao assobiar para o lado...Já alguém aqui ouviu Jardim falar alguma coisa sobre o excesso financeiro que cometeu; sobre o que tá escrito na lei das finanças regionais?! Então quem é que assobia para o lado e finge que não é nada com ele????!!! E os madeirenses alinham na jogada, olhando para o continente como simples lobo mau...enfim...não abram os olhos não...

E para finalizar, os continentais, ou "cubanos", não gostam de madeirenses pura e simplesmente por causa de Jardim e sua arrogância, hipocrisia, demagogia e palhaçada! E como os habitantes conseguem ser mais papistas que o papa, de tão manipulados que são, então que estavam à espera? De amor cego??!

Dário disse...

Aires:

1º Nunca disse que ameaçaram oficialmente com separatismo. Jardim é demasiado esperto para tal, além de que não é realmente isso que ele pretende. Isso sempre foi algo subtilmente lançado para o ar para pressionar Lisboa e desviar as atenções dos próprios erros...Mas como já disse, acho piada é à forma como ele lança a sugestão e depois sacode o capote como se não tivesse nada a ver com isso... Abomino a política suja; aquilo a que vocês chamam de bons políticos (como Paulo Portas, Jardim, etc), devido à capacidade de jogadas de bastidores, eu chamo de péssimos políticos pois é com vista o mero poder e não para atingir o objectivo primordial de 1político: servir o povo. Julgo que não era a política suja que os gregos tinham em mente quando introduziram o conceito de democracia e política num contexto democrático... A política suja, levada ao extremo, conduz a exemplos não democráticos como Estaline...
Quantos às ameaças de saída da UE (sim, eu sei que há regiões que pertencem a estados europeus, mas que não estão incluídas nas normas da UE; por exemplo nas caraíbas, se não estou em erro)é o chamado cuspir no prato em que se comeu... Além de que muito pouco inteligente... Querem ter direitos mas não querem ter deveres?! Jardim é irresponsável (em tudo e mais alguma coisa) e o povo ainda aplaude...

2º Quanto às agruras, da forma como está formulado o texto dá a sensação de que te estavas a referir apenas à Madeira e Porto Santo. Até porque, exceptuando São Jorge, as ilhas açorianas não são particularmente escarpadas...
Só mais abaixo é que referes os Açores (e na forma de termo geral; ilhas atlânticas), sem no entanto dar a entender que também as englobavas no que anteriormente tinhas dito. E por acaso, quanto às fomes e dificuldades de defesa, isso não era verdade na minha ilha (Terceira), admito. Como era ponto de comércio e de muitos mercadores, devido ao facto de por lá passarem rotas portuguesas dos descobrimentos (à volta, por causa dos ventos, se não estou em erro) e todos os galeões espanhois das américas, carregados de mantimentos à ida e de ouro à volta, não era própriamente uma ilha pobre, esfomeada e abandonada. Inclusive estava fortemente protegida devido ao olho guloso de piratas e corsários sobre o ouro espanhol e especiarias e marfim portugueses que por lá passavam. Aliás, a maior fortificação alguma vez construída fora de Espanha, pelos espanhois, encontra-se exactamente em Angra do Heroísmo. Mas o certo é que todas as outras ilhas eram apenas porto de abrigo esporádico e sofriam imensamente com ataques de piratas/corsários (íam mesmo a terra saquear tudo o que houvesse) e fomes devido a esses saques ao longo do ano. Sem que a coroa nada fizesse para as defender... Mas há que relativizar as coisas, na altura nem havia meios para tal, pois todos os nossos esforços estavam virados para os descobrimentos, estendendo imensamente a área costeira vulnerável a ataques e ocupando todos os navios de guerra no escortamento das naus carregadas de África e Índia. Já no séc XIX a questão é outra, se bem que o resultado o mesmo... A república até à chegada de Salazar é a confusão total e generalizada...altura de perda de toda a importância e relevância mundial que ainda tinha restado a Portugal...portanto não se esperaria grande coisa deste período... Depois, com Salazar, ó meu amigo Aires, foi todo o povo português que sofreu! Não foi só Madeira e Açores! Aliás, grande parte dos esforços do país foram orientados por Salazar em direcção a África, mais própriamente Angola! Todo o resto do país foi um pouco abandonado! E não me estou a referir ao esforço de guerra, é mesmo anterior a esse facto. Aliás, a importância dada a Angola era de tal forma grande, Salazar focava-se em Angola de tal maneira, que planeava deslocar a capital para Luanda! Portanto, a desgraça no país era generalizada! A vitimização e imagem de coitadinhos, neste caso, é apenas para nada fazerem, vivendo do fluxo de dinheiro que vem dos "patos" e para se desculparem para o caso de alguma coisa correr mal...

3º Já disse e volto a repetir: Há uma diferença enorme entre manipulação/tentativa de surripiar os Açores a Portugal, por parte dos E.U.A. e uma genuína tentativa/intenção de separação dos açorianos em relação a Portugal!!
Estava convencido que teria sido +- na época de Lincoln, mas deves ter razão, pode ter sido com Roosevelt. O que é certo é que isso começou muito antes. E.U.A. tentaram adquirir por um par de vezes os Açores a Portugal, esbarrando sempre na recusa portuguesa. Na altura até tinham conseguido comprar o Alaska aos russos...se é que se pode chamar de compra, pois acho que foi englobado num qualquer negócio por dívidas dos russos aos americanos. E nessa lógica também tentaram os Açores. A propósito, isto dava tema de conversa interessante, a mania dos americanos tentarem comprar terras públicas como se de propriedade privada se tratasse... O negócio mais recente acho que foi Diego Garcia, no índico, adquirida ou trocada com os ingleses. Mas isso é outra história... O que é certo é que dada a recusa engendraram um plano para ficar com os Açores... sorrateiramente e sem levantar muitos protestos por parte de Portugal e/ou da comunidade internacional. É nesse contexto que tens que ler a pseudo tentativa de separatismo açoriano! Não é dizer, assim sem mais nem menos que os Açores já desejaram a separação! Temos orgulho, e muito, no nosso patriotismo! E visto à lupa histórica isso é indesmentível!

il _messaggero disse...

dario disse...
"Apenas estava a corrigir uma injustiça escrita por il_messagero. Se algum político nos Açores se lembrasse de fazer chantagem com o continente, usando a independência como arma, os eleitores cairíam imediatamente em cima desse "iluminado"... É essa a nossa diferença...

Se os Açores tivessem tido um líder populista como AJJ, mas ao mesmo tempo um líder que mete os interesses da região acima de tudo, podes ter a certeza que não caíriam em cima desse dessa pessoa...

Estás a cair muito no erro de falar de situações que desconheces, nomeadamente quando falas da realidade madeirense e da conjugação de factores que levou a esta perpetuação no poder de AJJ e do seu partido...Percebo o que queres dizer e em parte concordo com muitas das coisas que dizes, mas enganas-te redondamente neste campo...Ah e passas um ideia que os madeirenses são completamente estúpidos e manipuláveis e que os açorianos são um povo acima da média...As circunstâncias como te esforçaste tanto por explicar na questão das verbas, são completamente diferentes...antes de Roma já o pão e vinho manipulava muitas populações sem excepção, portanto fica-te mal essa soberba...

Dário disse...
No que os madeirenses são cegos é aceitarem-no como herói (sim, porque foi ele próprio que se elegeu como herói), quando ele está precisamente a utilizar esta guerra com o governo central para se valorizar internamente!

Novamente o mesmo erro de cima...Como já disse no comentário anterior que fiz, o timming escolhido por sócrates foi errado, pois havia propósitos políticos por detrás...aproveitando o flanco aberto, AJJ e o PSD, fizeram a jogada política de transformar a demissão e as eleições num voto de protesto contra Sócrates - coisa que detestei, pois o PSD-M nem apresentou programa de governo (?!?)...Ou seja com jogada política, jardim responde com outra jogada política...e Dário convenhamos, Sócrates a aparecer no Funchal uma semana depois do anúncio dos cortes, a estabelecer a meta e objectivo de ganhar as regionais que se iriam realizar daí a 2 anos, foi um pouco burro politicamente deitando por terra as hipóteses do PS-M ganhar as eleições (e com isso atrasou uns anos valentes a hipótese ,que já é necessária, de haver alternância política na região)...

continuas a cometer o grave erro de em várias passagens do teu testemunho, confundir todo o GR e o PSD-M com alguns parasitas que por lá pupulam (e dito por mim que nem me identifico muito com os laranjinhas, cometes o erro de não reconhecer que existem bons activos no GR). Por outro lado, insistes na falta de liberdade de expressão - por exemplo digo-te que o maior orgão de oposição de facto é o DN-Madeira, sendo que seria impensável ao GR fechar este orgão - que é o jornal regional do país com mais tiragem diária...com já referi, até existem pasquins anti-Governo, pelo que estarás novamente a falar sem conhecimento de causa...Eu nunca me senti constragido, nem senti coacção por expressar opinião diferente do GR...
A opinião de um ou outro ferrenho partidário não faz a opinião de um povo (confundes madeirenses com fanáticos PSD)...
Esta é uma das razões para a oposição nunca ter vingado na Madeira, pois ou assumia uma atitude algo elitista e distante da população ou então assume o discurso miserabilista e vitimador, quase nunca assumindo uma atitude positiva e construtiva, acabando por ser um orgão de comunicação, o principal poder opositor ao PSD-M...

Os madeirenses não querem modelos ou repartições iguais aos Açores. Aliás até defendemos que seja atribuído mais dinheiro, até pelas razões que referiu.

O PSD-M tem que efectuar um mea-culpa sobre o modelo de desenvolvimento assumido sendo que existem mesmo dentro do PSD muitas vozes discosrdantes com este facto. A política do pão e circo não é sustentável, mas a situação criada pelo corte abrupto de sócrates, apenas deu mais argumentos ao PSD-M para tornear a situação e apostar numa campanha de vitimização e de ataque ao Governo Central, fazendo com que não houvesse hipótese de discussão...

As sanções já deveriam ter sido aplicadas à muito mais tempo e por causa de um mau timming (talvez para ficar bem visto aos olhos de muitos eleitores continentais - que para eles a Madeira é a origem de todos os males, desconhecendo às tantas que também pagamos impostos entre outras coisas), as hipóteses de uma alternância ficaram novamente adiadas...

Mas numa coisa, os açorianos poderiam aprender com os madeirenses, que mesmo tendo a vantagem de estarem em apenas duas ilhas - não têm de lutar contra lobbys internos - mesmo essa vantagem, esta não justifica que a Madeira seja a Região do País 8segundo a divisão feita para distribuição de fundos comunitários) com maior aproveitamento dos fundos em projectos. Já sei que irás argumentar com procedimentos meios ilegais e artimanhas, a divisão em 9 ilhas, etc. Mas isso não explica tudo. E existem (caso não saibas) orgãos de fiscalidade nacionais independentes, para além das situações que aparecem até serem denunciadas em orgãos de comunicação social - o que espantará alguém que nunca tenho ido à ilha e apenas leia os comentário do sr. Dário...eheh...
Caso não saibas Dários, as verbas não são dadas todas no início do projecto, sendo que este a meio do período de realização do mesmo é avaliado, sendo que apenas com uma avaliação positiva o projecto pode receber a totalidade das obras...

Meu amigo é fácil - só para dar um exemplo, os espanhóis para receberem fundos para incentivos à cultura do girassol até punham girassóis falsos...Por alguma razão são considerados mais dinâmicos e têm uma maior taxa de aproveitamento de fundos que nós...

Ou seja no post inteiro cais no erro de:
- julgar os madeirenses, metendo todos no mesmo saco e confundindo Jardim e as suas acções com as acções e posições dos madeirenses (coisa que me irrita a mim, madeirense estando cá no rectângulo, nos orgãos de comunicação e na generalidade das pessoas que falam, sem conhecer a realidade local);
- assumes que todos os madeirenses são burros e estúpidos (algumas das tuas passagens estão deliciosas), julgando que a ilha é um enorme Gulag ou campo de concentração sem possibilidade de expressão política...

Já vou muito longo, mas poderia até te explicar as razões que levaram a perpetuação de poder do PSD na ilha, tendo muito haver com a situação decadente que se vivia antes do 25 de Abril...Tenho um livrinho em casa ("História das crises de subsistência da Madeira" - pese seja escrito por um membro do PCP-Madeira - historiador, Rui Nepomuceno, e se centre na natural luta de classes, ajuda a clarificar muitas coisas) que explicará essa questão dos Açores, assim como comprovará que a Região era de facto, das províncias brancas do império portugês, a região mais pobre e abandonada. isso em parte explicará o domínio que o PSD conseguirá após a revolução...
Factos:
-Apenas 1/3 das receitas da Madeira revertiam para a região;
-a rede viária não existia practicamente, sendo o barco muito usado;
- até 62, com o aeroporto em Sta. Catarina a ilha estava apenas acessível por mar e mesmo assim o molhe que permitiu a acostagem de grandes navios apenas fica pronto no fim da década de 60 (as experiências com hidroaviões não contam)...
- o analfabetismo e a baixa escolarização era imenso - se reparares não encontras na história nenhum presidente da república madeirense ou figuras graúdas do estado amdeirenses, como os açorianos tiveram - nem falo de vultos literários e afins...
- a revolta da madeira e do leite, limparam praticamente as elites existentes;
- o sistema feudal de morgadios e de cedência de terras através do regime de colonato (abolido em 1850's em Portugal continental), vigorou na Madeira até 1974, sendo um sistema altamente injusto já que aas terras ficavam na mão das famílias abastadas, cobrando rendas por isso;
- a madeira sofreu várias fomes já no século XX (causa de algumas das revoltas que enunciei), tendo a ilha nunca sido palco de grandes investimentos, perdendo o florescente negócio do turismo a vapor para Canárias no início de século XX, pois não dispunha de porto de mar capaz (e tal só veio a acontecer 60 e tal anos depois)...
- estúpidos monópolios ainda no tempo da monarquia constitucional, que privavam as pessoas de produzir bens essenciais...enfim...

Julgo que poderia estar aqui a falar de muitas mais coisas...Atenção nunca disse que os açores não passaram por situações difíceis também (e estou a falar no conjunto), mas conhecendo eu a realidade madeirense, penso que tenho dados que me permitem falar em concreto da situação da madeira (até oporque o post era referente ao dia da região - se quiseres tenho todo o prazer em fazer um no dia dos Açores)...

ah..falta só referir..Os Madeirenses têm muito orgulho em ser Portugueses...nunca ponhas isso em causa, nem confundas opiniões infelizes de uns com a generalidade das pessoas...

P.S.também abomino a política suja...no entanto meu amigo, sem um pouco de astúcia, um governante nunca irá longe...essa com muita pena minha é a grande verdade...

luisagouveia disse...

O il _messaggero tem toda a razão. Confundir os todos os madeirenses com as políticas do AJJ é idiotice pura. Eu como madeirense nunca votei em tal senhor e sua corja porque abomino determinadas posturas e formas de fazer política. Agora... a oposição madeirense é bem triste e nunca e nada fez pelos interesses dos Madeirenses.

Aquela historia já batida na falta de argumentos: "o sacar dinheiro". Deviam ficar contentes. Porque o desenvolvimento da Madeira é o desenvolvimento de Portugal! Quando Lisboa anda a endividar-se em determinadas obras... ou a região do Algarve, ninguém diz que andam a sacar dinheiro.... e porque? Porque Lisboa, Algarve, Minho, etc....são bem mais pertinho...é no continente, e não confunde os neurónios de muita boa gente.

Já estou farta de falarem de realidades que não conhecem! É ofensivo andarem a meter tudo dentro do mesmo saco!!!!

Dário disse...

Sra Luisagouveia e Aires:

Quem é que meteu a farinha toda no mesmo saco??!! Desde quando é que eu tomo o todo pela parte??! Levarem à letra figuras de estilo como a metáfora ou hipérbole só pode significar uma de duas coisas: ou leram mal ou estão de má fé (ou expressei-me mal, também é possível)...
Aires, quando dizes que o Benfica tem um péssimo plantel, referes-te a todos os jogadores?! Claro que não, é apenas referente à maioria! Por exemplo gostas muito do Simãozinho, entre outros, não é? E quando dizemos que o Barcelona é de outro mundo? Também só nos referimos à maioria, certo.. também há lá jogadores, enfim, coxos... Lá por eu falar no geral, não quero dizer que TODOS os políticos ou habitantes são assim ou assado! Refiro-me à ala dominante de determinado grupo. Ora, como a maioria dos governantes PSD-M tendem a usar os mesmos métodos que Jardim (não fosse ele o patrão...), então eu generalizo para um termo abstracto, na figura de "governantes madeirenses". Mas isso não quer dizer que não considero um ou outro uma mais valia e bons representantes dos interesses do povo! E faz algum sentido pensarem que quando critico os madeirenses por idolatrarem Jardim e serem fácilmente manipulados, me refiro também aos que nele não votaram??!! Por amor de deus (não o Jardim, o outro...), isso já cheira a complexo de perseguição!!
Os madeirenses (e aqui já é na ordem dos 90/95%) têm uma dificuldade enorme em aceitar críticas! Mesmo que ninguém se esteja a referir específicamente a eles, qualquer crítica em direcção à Madeira provoca logo um tsunami! Querem ver que são perfeitos?!
Quanto à falta de liberdade de expressão (sobre a qual por diversas vezes me interpretaste com má fé), é a mesma história das figuras de estilo... hipérbole... não queria dizer que se encontram num salazarismo ou que têm o Putin como líder!! Simplesmente me refiro ao facto de qualquer jornalista que não tenha poiso no continente (ou backup do continente, ou meios para não ser afectado por represálias laranjinhas) e que critique o executivo, é logo enviado para a lista negra da "queima". Por exemplo, lembras-te da célebre foto que o braço direito de Jardim tentava tirar, ou tirou, a um jornalista na assembleia, numa óbvia atitude intimidatória? Toda a gente sabe (e aqui baseio-me também nos próprios testemunhos de meus amigos madeirenses, laranjinhas e não laranjinhas...), que alguém que critique jardim abertamente tem imediatamente dificuldades enormes de progressão na carreira, qualquer que seja ela... Era a esse tipo de coisas a que me referia, ao falar em liberdade de expressão!

Sra LuisaGouveia:

Concordo em absoluto! Simplesmente não há oposição capaz na Madeira! E mesmo havendo um ou outro capaz, não há qualquer espaço político para estes; tal não é permitido pelo fanatismo social democrata... Neste momento, esse facto é simultaneamente causa e consequência da vossa situação democrática; é um ciclo vicioso.
E é exactamente por não haver oposição capaz, que ponho em causa a teoria de perseguição por parte de Sócrates. Alguém mínimamente inteligente cortaria verbas à Madeira e esperaria depois ganhar as eleições na região?! Ainda por cima lá se deslocando pouco tempo depois, provocando a ira da população?! Digam-me honestamente, alguém inteligente faria isto com o intuito de ganhar eleições, sendo que o corte de verbas tem exactamente o efeito contrário?! Aqui, -já o discutimos antes- concordo contigo, Aires. Mas discordo que seja artimanha...simplesmente porque seria uma estratégia demasiado burra e condenada ao fracasso logo à nascença!
Quanto ao "sacar dinheiro", sra Luisagouveia, não compare realidades distintas... Lisboa e Algarve -neste momento- conseguem produzir riqueza suficiente para cobrir o que o estado suporta nestas regiões. Já o fluxo de dinheiro no caso da Madeira é práticamente unilateral...o voo de ida para o Funchal está sempre cheio, o de volta ao continente praticamente vazio...(e não me levem a metáfora à letra, sff, não comecem a falar de aviação e turismo...). É claro que o mesmo se passa com os Açores, e a riqueza produzida ainda menor. Mas não somos é arrogantes e hipócritas. Temos os direitos mas respeitamos os deveres... Além de que permitimos a Portugal uma posição estratégica para com os "states", além de milhões em material militar fornecido pelos americanos (mas desactualizado, refira-se...), tudo englobado no acordo de utilização da base das Lajes. Só para terem uma ideia, sabem quanto custaria um único F16, dos 40 que adquirimos? 36 (36!!!)milhões... Sim, já sei o que estão a pensar, também acho desperdício recebermos as contrapartidas na forma de material militar....com a agravante de, exceptuando os postos de trabalho criados (que não são poucos, vá lá), nenhuma verba ir parar aos cofres da região por tal facto. Até podem criticar os nossos dirigentes por tal lacuna, mas o facto é que a diplomacia externa (e portanto as negociações) é efectuada pelo governo central e não por nós próprios... Portanto, sim, também temos razões de queixa do continente...só não gostamos é de desempenhar o papel de bébé chorão e muito menos de fazer figuras ridículas sem argumentos...

Aires:

Insinuaste que considero os madeirenses burros... Nada disso, apenas considero que são demasiado manipuláveis por Jardim. Sim, já sei da tua teoria de que isso se deve ao facto de, antes, a Madeira viver numa pobreza franciscana, com dificuldades de toda a ordem (e de Salazar perseguir a Madeira -mais uma vez lá vão buscar a ideia de perseguição-), e devido ao facto de a população mais velha ainda se lembrar desses tempos e agora ver tudo bem melhor e por isso dá vivas ao "salvador". Lá estás tu a não contextualizar e a não relativizar as coisas... Antes de 25 de Abril, como é que julgas que TODO O PAÍS vivia?? À excepção das (poucas) metrópoles, a nossa economia era praticamente de subsistência! Éramos pobres em todo o lado! Passávamos fome em todo o lado! Comer manteiga era só nos dias mais especiais de festa, e era quando havia manteiga! Trabalhar de sol a sol no terreno dos senhores e levar uma mera quarta de milho ou trigo para casa como pagamento! Isso era o panorama geral do país! Ou já te esqueceste que o lema de Salazar era qualquer coisa como: "um povo pobre é um povo obediente"??! E perseguição de Salazar à Madeira? Com ou sem revolta do leite, todo o país sofria a repressão salazarista!! Querem ver que afinal o período salazarista de pobreza e repressão era apenas circunscrito à Madeira?! Tens noção do que era um Alentejo, um Minho, uns Açores nesse tempo??! Basta veres fotos e ouvires as histórias de pessoas mais velhas... É claro que ainda não estamos satisfeitos no que foi feito nessas regiões e que ainda estão atrasadas actualmente...mas tens noção da diferença abissal desses tempos para hoje?! E não é por essas regiões estarem melhor hoje do que antes (mesmo ainda estando longe do desejado), que o poder é ocupado sempre pelos mesmos galos nos mesmos poleiros!! Os açorianos também já foram patos, com Mota Amaral, mas caramba, eventualmente acabámos por abrir os olhos!! Portanto, a memória desse tempo não explica nem justifica as sucessivas maiorias absolutas que Jardim tem obtido, por mais que não queiras admitir o facto de os madeirenses serem altamente manipuláveis (e, mais uma vez, não queiram subverter o que digo, não me refiro a TODOS os madeirenses)! Falar com um apoiante laranjinha madeirense sobre o seu executivo é o mesmo que um adepto de um clube contrário falar com um ferrenho adepto benfiquista, sportinguista ou portista... o seu cérebro está tão moldado desde cedo a gostar de Jardim (dos seus clubes, na comparação com os ferrenhos adeptos), que não há conversa sã possível. E a "clubite" partidária é qualquer coisa que me irrita profundamente e prejudica sériamente o país... Porque quando há clubite partidária, morrem os argumentos válidos e subsiste o fanatismo...
E sim, eu sei que não és assim em relação aos partidos, Aires.

Quanto à taxa de execução de projectos e à fiscalização...tss tss... Como é que podes falar do exemplo dos girassois e depois ser tão anjinho em relação à Madeira..? Ter uma alta taxa de execução de projectos não é o mesmo que ter uma boa aplicação dos dinheiros... Quer dizer apenas que o projecto foi iniciado e concluído nos prazos regulamentados e todas as verbas adjudicadas e aplicadas. Os girassois teriam portanto uma alta taxa de execução... no entanto sendo uma péssima aplicação dos dinheiros (além de ilícito, óbvio). Mas há uma coisa positiva, a propósito dos projectos, que eu gostaria de ver copiado da Madeira: desburocratização. Se bem que na Madeira, isso é desvirtuado... sim senhor, facilitam a implementação dos projectos, mas os concursos públicos (os mais relevantes e lucrativos)são quase sempre ganhos pelos "filhos e afilhados" do executivo... É um mal geral do país, podem argumentar, mas é que no resto do país é bem menos frequente esse hábito...
Quanto á fiscalização... Estás a falar do mesmo executivo que manda apaparicar os juízes, comandantes, chefes de departamento regional, etc etc, logo à chegada ao aeroporto do Funchal, certo??! Do mesmo executivo que é só operações de charme e glamour (e inserção nos seus círculos de amizade...uma mão lava a outra, quando for preciso...)sobre individualidades "estratégicas", certo?! Quiçá, que oferece "fruta para dormir", como Pinto da Costa, certo?! É sobre esse executivo que falas não é?! Então não me venhas falar sobre orgãos de fiscalização INDEPENDENTE na Madeira!!

Quanto àquilo a que chamas lobbys internos com que se debatem os Açores, nós chamamos oposição e diálogo democrático... Sim, sei que não estão muito familiarizados com esses termos na Madeira, mas tentem perceber a lógica... e surpresa das surpresas: lá até há alternância democrática!! :p
Agora fora a ironia e picardia, sim, tens razão, debatemo-nos demasiado entre ilhas... exactamente porque não é fácil distribuir por 9 ilhas o que vocês apenas têm que fazer por 2... E o problema é que essa "luta" interna revê-se cá fora quando é tempo de reivindicar algo ao continente ou UE. As prioridades das diversas ilhas podem ser diferentes e depois não há consenso. Normalmente qualquer executivo açoriano, ao adoptar uma qualquer estratégia tem sempre mais de metade da população contra. Se desenvolve uma ilha, não tem para as outras, o dinheiro não estica... Vocês é fácil, por exemplo, se aplicassem o dinheiro no Funchal, além de conseguir, com mais ou menos esforço, beneficiar toda a ilha, ficariam apenas com as poucas almas do Porto Santo contra. Portanto não é fácil e muito menos linear o desenvolvimento por lá... A menos que aumentem drásticamente as verbas ou um cataclismo faça juntar todas as ilhas e permita continuidade territorial...

Quanto à soberba e mania de superioridade dos açorianos...
Não temos qualquer tipo de complexo de superioridade... Não somos nem mais nem menos que os outros... Mas deixem-nos ter orgulho no (pouco) que temos para nos orgulhar!! E o patriotismo é um deles! Se criticar os madeirenses (termo geral novamente...) por não terem cultura democrática e por serem manipulados, é ter mania de superioridade, soberba ou o super-homem, então nunca ninguém neste mundo pode criticar o que quer que seja! O espírito crítico tem de ser amordaçado a todos os que não forem perfeitos! Não se poderá criticar Hitler ou Estaline porque corremos o risco de se pensar que somos um povo superior a alemães e russos! Não se pode criticar um qualquer jogador porque se incorre no risco de se pensar que somos melhores que ele...
Mais uma vez afirmo: os madeirenses não aceitam críticas!! São perfeitos...levem a taça... Eu por mim, sou imperfeito, os meus conterrâneos idem, e estamos proibidos de criticar a Madeira porque senão descobrem-nos a careca, o complexo de superioridade...

Pargueiro disse...

Mr. Dário:
Ponto nº1: Eu não sou emigrante! As minhas referências ao inglês era uma forma de chamá-lo à atenção para o facto de eu entender que você se considera mais Americano do que português!

Ponto nº2: Mr Dário said: "Inclusive os imigrantes como o senhor, que como todos nós já nos habituámos a constatar, até sentem a "portugalidade" com mais intensidade que os próprios habitantes (se ainda vivessem aqui é que duvido que continuassem a gostar assim tanto do país...;)"
Relativamente à questão da "emigrância", já foi supra esclarecido. Quanto ao facto de trazer à colação o facto de se os emigrantes vivessem em Portugal não iriam gostar do país, acho estranho!!

Ponto nº3: Aflorando as políticas do Drº Alberto João Jardim e fazendo referência que este só faz chantagem com o governo central, aprecebo-me a sua enorme frustração por não ter ninguém com a capacidade do Presidente do Governo da RAM, capaz de lutar e fazer tudo em prol da Madeira e dos Madeirenses! Já sei que vai refutar este ponto, mas eu como já conheço os seus comentários, tenho a certeza, que o irá fazer com ideias que não sei bem onde é que foi buscá-las! Acho incrível a quantidade de pessoas que dizem não gostar do Drº AJJ - quanto à sua maneira de estar, ainda percebo o desacordo ou o desencanto! - mas a nível político, na sua luta incessante pela desenvolvimento da Madeira, não acredito que haja algo a apontar-lhe! A maioria dos continentais falam sem saber, sem conhecimento de causa e inventam pretextos para odiar o Drº AJJ! Gostava que as pessoas tivessem noção do que era a Madeira de há 40 anos e em que é que se transformou, na Madeira Actual! A Madeira encontra-se desenvolvida, sendo a sua capital de distrito, a terceira maior cidade do país (não a nível de população), com enorme aposta no Turismo, sendo que 20% do turismo nacional é feito para a RAM. Estes valores só são ultrapassados pela região do Algarve que recebe 40% do turismo nacional. Mas quanto a isso, podemos apontar o atrofiamento que o Governo Central tenta fazer ao não liberalizar as rotas aéreas para ligações à Madeira! Pois, com as rotas abertas, acredito muito mais no potencial da Madeira, para tornar-se no destino turístico de eleição de Portugal!

Ponto nº 4: Para rematar, queria deixar no ar um tema e gostava de saber o que pensam sobre ele.
A questão de a Madeira gastar muito dinheiro, é um tema sobejamente falado... "A Madeira rouba muito ao Estado! A Madeira recebe muitos fundos europeus! .... "and soy on, and soy on!"
Não quero abrir nenhuma guerra com os Açores, mas o que foi feito ao dinheiro que os Açores recebeu?
Os Açores recebeu mais ou menos as mesmas verbas que a RAM, para falar a verdade, recebeu um pouco mais, pois com a formula da Lei das Finanças das RA's, contemplava mais verbas para a RAA, pelo facto de ter mais ilhas e ter mais custos a nivel de infra-estruturas! Mas para quem conheçe os Açores, repara que algo não está bem ali!!! Mesmo com mais ilhas, sendo que o dinheiro possa ter-se dispersado, o que é feito do desenvolvimento? O que é feito das obras que aquele dinheiro daria para fazer? onde está a obra feita? O AJJ é condenado por gastar dinheiro, mas apresenta obra! Os Açores.... não sei o que fizeram ao dinheiro...pois obra...N HÁ!

Hugz!