2007-02-11

Barack Obama vs Hillary Clinton

Barack ou Hillary

Para o Bem e para o Mal, uma eleição presidencial americana e um assunto que nos toca a todos. E a de 2008 será vital, em virtude que poderá definir um novo trajecto, especialmente depois de 8 anos sob administração Bush. Muita coisa mudou neste espaço de tempo, sendo que o 11 de Setembro será sempre um marco de transição muito importante..

As hostes do Partido Democrata começam a ser alinhadas e as primárias cuidadosamente preparadas. Após ter obtido a maioria do Congresso (após largos anos de maioria Republicana), trata-se de aproveitar e restabelecer uma certa ordem na Casa Branca, isto após o "aterro" que se revelou a aventura americana no Iraque, assim como o fracasso da política para o Médio Oriente, aliado a um certo descontentamento interno motivado pela desgraça causada pelo "Katrina" e a deficiente resposta dos serviços federais aos danos causados pela catástrofe, aliada a uma certa sensação de insegurança face ao poderio e viatalidade económico revelado pela China (que é o principal titular de títulos do tesouro americano)...

E na grelha de partida, perfiguram-se como principais pré-candidatos a candidato democrata, Hillary Clinton e Barack Obama.
Julgo que será uma situação inédita ter de um lado da barricada como principais concorrentes, uma mulher e um afro-americano.
Do outro lado da barricada, deverão ter de enfrentar ou Rudolph Giuliani (o homem que pese o seu passado meio duvidoso, soube estar à altura dos acontecimentos por altura do atentado mostrando destreza e clareza como Mayor de NY, sendo neste momento um homem que entra em qualquer estabelecimento dos EUA e é automaticamente aplaudido), ou numa hipótese remota Condoleeza Rice a meu ver...

Falando apenas do lado Democrata, permite-nos visualizar uma Hillary punjante e confiante, com trabalho feito enquanto senadora pela Estado de NY, que soube passar pelos efeitos negativos que o escândalo em que o marido se envolveu causou. Trata-se do candidato que mais dinheiro angariou, com a máquina montada e bem oleada desde há muito tempo. Tem importantes apoios e joga a seu favor o facto de estar em pré-campanha há imenso tempo.

Obama é uma estrela em ascensão na constelação democrata. Trata-se de um afro-americano que é apenas senador à 2 anos (que poderá ser uma desvantagem), mas que mostar imenso trabalho. Está a granjear imensos apoios por parte da comunidade negra (que vota maioritariamente nos Democratas), e a sua aura de conciliador está a provocar uma onda de optimismo, havendo já importantes apoios declarados em seu nome. Ponderou imenso a sua pré-candidatura, fez uma espécie de "Tour" para recolher impressões e obviamente fundos e eis que ontem decidiu-se pela candidatura...

Porventura enquanto Hillary é mais decidida, Barack Obama apresenta uma aura de conciliador e ponderado.
Será interessante notar, numa democracia onde a política e os fazedores de candidatos (marketers políticos) é elevada a estatuto altamente profissional, esta corrida às Primárias Democratas.

As forças e os lobbies já se começam a movimentar nos bastidores. Pese Obama tenha apoio da comunidade afro-americana, a maioria dos líderes destas comunidades tende para o lado de Hillary. Por outro lado, os actores liberais de Hollywood (normalmente um pouco esquerdistas para o panomara americano - para o europeu nem por isso) tendem para Obama, mas não irão declarar apoio oficial, com o intuito de não prejudicar este candidato, pois as eleições são ganhas ao centro - veja-se o efeito Howard Dean na última eleição, sendo o candidato com mais fundos e apoios e perdeu as primárias democratas mesmo assim, pois foi muito colado à "esquerda" pela defesa da retirada imediata do Iraque.

Hillary pelos fundos, pelo tempo em que já é falada para a presidência, pelos apoios, estará na liça para ser a representante democrata em 2008. Mas a energia positiva que Obama está a despertar traçará uma mudança de planos?

Será que Obama será queimado e não voltará a uma nova tentativa, caso sofra um desaire nas primárias? Relembre-se que Collins Powell era considerado um "joker" republicano em 1996 e um dos candidatos mais preparados e estimados, não tendo porém passando das primárias, perdendo as hipóteses de nova recandidatura...

É interessante todo este jogo de influências políticas, de timings, de apoios e lobbies...ainda para mais num país como os EUA...

P.S. Feliz Ano Novo a todos (ainda não tinha postado nada por cá)...

2 comentários:

120086648 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
il _messaggero disse...

não se preocupem amiguitos...

O lápis azul da censura não funciona neste blog...

...agora spam...Não obrigado...